terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Água mole . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa
                                       Água mole . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa

O céu com o ar cheio de água, a água mole na minha frente e dentro do meu corpo, me evaporando em micropartículas...
O céu e aquela água toda suspensa. Pronta à desabar a qualquer momento enchendo a terra de água, inundando o seco e o molhado... inundando...
A menina boiando na água, nadando na água, vencendo as distancias, suando, batendo braços e pernas contra o ar, entre o céu e a terra, na água... a menina...
E os talos das folhas por ali, seiva, indo e vindo feito ondas de mar, sopradas por ventanias de águas evaporadas... evaporada...
Essa mistura misteriosa, maestra maior do mundo sempre recomeçando, sempre recomeçando...
micropartículas, inundando, a menina água. A menina evaporada.


in Água mole
Fernanda Correia Dias

Céu do Rio . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa
Céu do Rio . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa

Coragem, leio neste céu. Esta palavra que me acompanha. Irmã de Enfrentamento, como ouvi a explicação: A vida é Enfrentamento. 
Vamos. Teremos muitas paisagens, sejam quais forem, teremos que enfrentar continuamente. Para isso te preparo. Disse sempre a voz que me protegeu e me protege.
Vão aprender a cozinhar e comerem crus ou cozidos todos os comestíveis. Vão aprender a gostar, experimentando! E vão lavar a casa e as próprias roupas e as dos outros, porque tudo devem saber. A servirem bem, para serem bem servidas. Vão varrer, passar, costurar, tricotar, etcterá...Vão sim! Tudo o que for saudável. Ninguém sabe o que é o futuro. Podem precisar fazer para si e para os outros. Vão aprender logo! Vão aprender a se afastarem do que é ruim. Do Mal. Não vão experimentar o que sabem que está errado. E vou avisando logo: Passem a vez adiante! Não experimentem aquilo que cria dependência e é nocivo à saúde. Defendam-se de si mesmas. Não estarei aqui para sempre.
A vida é Enfrentamento. A Coragem vem das habilidades que desenvolverão para enfrentarem as adversidades. Porque os Monstros são criados por  medos.

Leio o céu, compreendo que tudo gira... Se você não muda, algo vai mudar você e em você... É o que diz o céu!
Mutatis Mutandis preparem-se sempre e continuamente. Mantenham-se interessados por tudo e principalmente pela compreensão dos próprios limites. Enfrentem ou tenham coragem de se afastarem. Nada é para sempre. Tudo muda. Tudo gira.
Feliz Ano Novo!
in Céu do Rio
Fernanda Correia Dias






segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Búzios . 
Foto Fernanda Correia Dias
Búzios
Foto Fernanda Correia Dias

Eu tenho consciência que sou também índia.
A minha presença física impõe uma presença indígena que me antecede.
Foi desde sempre assim.
Minha mãe me dizia: _Você é lindíssima. Fora do comum, com esta cor de jambo, com este cabelo preto como a asa da graúna, liso, brilhante, líquido feito água...Estes olhos de Jaboticaba luzidia...Os dentes de branco muito branco...! 
Na Bahia ouvi novamente esta referencia: _Você tem cabelo liso de água... é como descrevem o cabelo liso que quando seco você segura um bocado e ele vai escorrendo mole entre os dedos sem parar como água, ...igual ao seu!
Mas é sobre uma presença indígena que me antecede que estou escrevendo...uma que cheira o ar, a chuva, a água, a folha...antes de mim... Uma que cheira o sal e o açúcar e reconhece pelo cheiro o que dizem ser inodoro...Uma que decide a direção e a hora da caminhada porque precisa encontrar alguém e entra em sincronia e encontra...Uma que lê o tempo, lê as nuvens e as superfícies das águas e transborda em sabedoria...E enxerga para eu ver...e toca para eu ouvir e sentir... E me aproxima do que eu sei que vai me fazer bem, indo mesmo na mão contrária da maioria.E me afasta quando percebe que talvez, não...
Aqueles que me acompanharam ao longo de todas as minhas idades, reconhecem que a minha presença indígena me antecede e é forte, precisa e sensível. Me dizem isso. Vocalizam. Me perguntam: Como você percebe? 
E essa pergunta ecoa muito dentro de mim como numa sala interior de águas translúcidas, espelhadas e lisas pedras...
in Líquida .Fernanda Correia Dias




Árvore  . 
 Foto Fernanda Correia Dias

                                                      Árvores . Foto Fernanda Correia Dias

Por aqui, aquilo que nem todos encontram... Uma cerejeira no caminho!
Eu descia a rua, sabendo que ia encontrar aquela cerejeira em festa! Preparava meu coração...!
Muitas cerejas no chão, muitos miquinhos felizes e uma alegria em exuberância...! 
Ah... eu descia pensando que toda aquela rua talvez tivesse sido um campo coberto de cerejeiras que iam à beira do rio... E encontravam os Jambeiros na esquina...Porque o tronco da cerejeira era meia braçada!
Grosso! Firme! Quantos anos para ficar naquele diâmetro?
E como podem as cerejeiras necessitarem de 800 a 1000 horas de frio para produzirem cerejas, se as daqui explodiam lindas, perfeitas e deliciosas frutinhas em pleno verão?
Não sei...não sei... mas meu coração assistia toda aquela beleza! Sim, porque uma árvore em festa de frutos e miquinhos felizes é algo que te abraça com muita ternura o coração!
Afinal, os miquinhos tinham seus corredores de árvores, para viverem em estado permanente da mais pura felicidade... com frutas, frutos, troncos, folhas e flores também! Muitas vezes os fios elétricos... os postes... aquelas caixas imensas de eletricidade que os micos desavisados e curiosos as vezes morriam eletrocutados... Mas... 
Então hoje eu não vi a cerejeira. Como?
Não tem mais cerejeira?
Arrancaram?
Levaram com raiz?
Por quê?
Meu coração um fiapo... Resolvi perguntar ao Senhor que tantas vezes vi varrer o chão com os frutos e reclamar dos micos... da sujeira... da algazarra...
Ele me respondeu: Também estou triste. Mas a ventania deitou a cerejeira no chão (!)
Como? Não posso acreditar! Era grossa, firme, nada poderia derrubar...
O vento? O ven-to?
Ah... não!
Não tinha copa que vento derrubasse...
Só alguém que não amava aquela festa... E agora plantou lírios????
Vai plantar mais lírios??
Ah... Não...
Me diz assim animado que vai plantar lírios?
_ Estou muito triste, assim como a Senhora, também amava a cerejeira... Fiquei muito triste... O serviço da Prefeitura arrancou e levou...O Serviço de Parques e Jardins...
Ah... Não! Eu não acredito!
Eles são preservacionistas, não fariam essa maldade...
_Pois foi. Eu vi. Estava presente.
Qual o seu nome?
_Fernando.
O Senhor sabe o que significa Fernando?
Não? Pois vou lhe dizer: Aquele que é ousado o suficiente para propor a Paz. O Diplomata. O Conciliador.
Se estavas presente, por quê não evitou? Por quê não conciliou? O que lhe faltou de ousadia para impedir? Por quê não abraçou a cerejeira? O que  faço com a dor que estou sentindo agora?
Vamos encontrar um outro pé de cerejas? Vamos plantar?
Vamos? 
O que vou fazer com a tristeza que vai me devastar todas as vezes que eu passar por aqui e me lembrar do que era e o que temos, falei com meus olhos cheios de água...
_ Não sabia que a Senhora ia sentir tanto...
Pois assim é a vida, o Senhor não sabe? Que tudo à nossa volta nos diz diariamente e anos e anos, muitas notícias lindas? E tristes também? Vou me acalmar, conciliar... é a minha natureza de fernandaria nessa morenaria... Mas se encontro uma mudinha de cereja, trago e o Senhor planta! Combinado?
_Combinado!
Então pensei...
E o mundo fica mais belo, ainda que utilmente, quando por ele anda teu coração! * em diálogo ao poema  de Cecília Meireles, Epigrama n1 do livro Viagem. Leia! Não perca!


In Fernanda Correia Dias
Árvores

* in Cecília Meireles . Epigrama n1 . Livro Viagem



sábado, 12 de novembro de 2016

Rosas Cecília . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa

Um povo ignorante é instrumento cego de sua destruição?
A quem interessa um povo ignorante?
Todo dia sabemos que o caminho mais longo que percorremos é aquele para nós mesmos.
Mas o que você sabe sobre si mesmo? 
Aprendeu a ler e não lê?
Por quê não lê? Não sabe o quê ler?
Se você pode sonhar, você pode fazer? E por quê não faz?
A nossa verdadeira nacionalidade é a humanidade? É?
Nada que vale a pena saber pode ser ensinado?
A sorte acompanha os esforçados?
Há mais fome de amor e de admiração no mundo que de pão?
O começo é metade do todo?
O homem é o que faz de si mesmo? Coragem é resistência ao medo? 
Olha... A publicidade maciça de muito autores medíocres é destruição de conhecimento.
Isso está acontecendo por todos os lados. Estamos no tempo da multidão. Da multidão ignorante?
E agora?
Seja melhor que você, para você mesmo.

Não perca tempo: Leia Cecília Meireles. Continuamente. Comece por crônicas de autoria de Cecília Meireles. Salte para poesias de Cecília Meireles. Leia ensaios de Cecília Meireles. Teatro de Cecília Meireles. Leia Cecília Meireles, imediatamente.
Você vai dar um salto dentro de si mesmo em inteligencia e sensibilidade.

Não faças de ti um sonho a realizar: Vai. Cecília Meireles*

É... vai ler Cecília Meireles, ela é única. Uma Deusa, escreveu Drummond. Exata, escreveu Bandeira. Professora da Arcádia, escreveu Vinícius. Nada estará perdido enquanto seu nome for lembrado, escreveu Quintana. Você não sabia? E sabia que hoje, 7 de novembro ela completa 115 anos? Não? Por quê?
Você está perdendo o encontro com a autora que vai te entregar o ótimo? 

* in Meireles, Cecília - Cânticos, XXIII

Fernanda Correia Dias
in Porque hoje é 7 de novembro, 115 anos de felicidade: Nasceu Cecília Meireles!




Gata não casa com cão . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa

Com pouquíssimas palavras o amigo gigante e estudioso destas litigâncias esclarece: Isso acontece porque o sujeito reconhece a superioridade moral e intelectual do outro. Com o passar dos anos, sente-se humilhado e esmagado por sua própria consciência e inferioridade e para se compensar devasta patrimônios, se apropria do que não é dono, principalmente quando...   É rato! Nem cão, nem gato.


Fernanda Correia Dias
in É rato! Nem cão, nem gato.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

James, esse é o meu irmão . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa
James, esse é o meu irmão . Fernanda Correia Dias . Fotógrafa

Você nasceu no Dia das Crianças, 12 de outubro de 2001 e hoje, 14 de outubro de 2016, você está aqui dormindo para sempre na caminha fofa e linda que eu fiz para você e que você adora!
Mamãe me pediu para prestar atenção nestes ciclos de vida, quando as datas se aproximam. Passeávamos no cemitério e ela me apontava as datas. Não tínhamos medo das datas porque compreendíamos e aceitávamos profundamente a natureza com naturalidade, o ciclo da vida. Ela insistia, não sabemos nada sobre a vida, mas a morte é certa, desde que nascemos. E está próxima ao nosso nascimento. É um ciclo. Como tudo na Natureza.Não sabemos para quê nem Por quê viemos, mas viver é muito Bom! É ótimo!
Amanhã é Dia do Professor e você, meu irmão-gato, meu Professor ideal, aquele que minha Avó Cecília me ensinou, que deviam ser os professores: Os virtuosos, que fazem com tanto amor e perfeição o que sabem que inspiram a todos a serem semelhantes! Esses são os autênticos Professores.
Eu quero agradecer a sua linda e exemplar vida vivida ao meu lado dando o seu melhor, ensinando a sermos melhores e no mínimo  perfeitos e até mais que perfeitos, como o seu caráter e esqueleto mental e musculatura espiritual miando ou escrevendo com o diálogo dos olhares as transparências das verdades absolutas:
_Estou feliz. Tenho fome. Tenho sede. Posso esperar. Não posso esperar. Tomo banho sozinho. Gosto de limpeza.Amo sua companhia. Me dá um colinho. Adoro colinho. Amo muito você. Estou cuidando de você. Você não está sozinha. Não gosto de ficar sozinho. Quero estar ao seu lado. Vou sentar sobre tudo porque não abro mão de estar ao seu lado. Não gosto quando você se afasta. Eu quero que você cuide de mim. Eu sou seu amigo para todas as horas. Eu vim ver o que você está fazendo. Eu vim ver o que você fez e se fez direitinho. Só tinha esta forma de fazer? Eu estou te chamando para você brincar comigo.  Vem! Vem ver! Vem ver o que eu estou vendo! Eu estou te chamando para você trocar a minha água.  Eu estou te acordando para você olhar para mim. Eu gosto quando você me olha. Eu durmo ao seu lado se você permitir. Eu fico distante te olhando porque tenho medo disso. Eu adoro assepsia. Amo a limpeza. Eu sou inteiro. Observo e escuto. Penso. Faço você pensar. Você tem que refletir melhor sobre isso! Tem certeza? Tiro conclusões. Te hipnotizo. Enfrento.  Estou vivo. Estou com soninho... Estou exausto! Tenho sono. Estou te vigiando. Sei o que você está pensando e estou de acordo. Sei o que você está pensando e não concordo. Pense melhor sobre isso. Sei que você pode fazer melhor! Não coma isso, está estragado! Você pisou o meu rabinho? Você pisou minha mãozinha? Sou valente. Tenho coragem. Gosto de festinha na garganta. O que você está pensando? Posso comer o que você está comendo? Hum... eu também gosto disso... Cheiroso... Eu gosto de perfume! Eu gosto de flores naturais! Eu sou belo porque eu te amo como seu irmão e cuido de você. Eu sou belo porque eu cuido de todos e sou irmão de todos. Eu fui muito amado por nossa mãe e eu me lembro dela praticando tudo o que ela me ensinou.  Essas coisas são da nossa mãe e eu reconheço, por isso sentei aqui! Estou sentindo o perfume dela. Adoro festas. Gosto de gente! Atenção na rua, estou te esperando, não demore. Pense bem no que você está me dizendo. Pense bem no que você está pensando. Também ouvi, vamos lá saber o que é. Eu sei o que é. Eu já entendi. Olha aconteceu algo ali, vai, vai lá! Onde estão as meninas? Por quê não chegaram? As meninas chegaram!!! Onde Ela está? Ela está aqui. Durma tranquila, não há perigo. Estou te olhando. Pisco para você, pisque para mim! Adora quando nós piscamos um para o outro!
Muitas vezes ouvi ao telefone: Mummy onde você está? Eu sei que você chegou aqui no Bairro, porque o James já foi para a porta te esperar! E ainda faltavam mais de trinta minutos de caminhada, até que eu chegasse do outro lado da porta onde ele me aguardava.Como é possível esta conexão??? Como vou explicar?
Quando a nossa mãe dormiu para sempre, ele como eu, sentiu uma saudade imensa. Foram três anos em que muitas vezes choramos juntos. Ele ficou escondido por três anos. Eu só sabia que ele estava vivo, porque a comida sumia...A água sumia... Fazia pipi na área, no ralo da máquina de lavar roupa e o sabão lavava o pipi... Quando chovia e o chão ficava molhado, ele fazia pipi no ralo do lavabo...Ainda ontem cedo, de manhã, com as perninhas bambas, encontrei ele fazendo pipi no ralo do lavabo. Usava o rabinho dobrado como um banquinho e não se sujava. Quando ele completou três anos de luto, ele me tocou e veio para o meu colo. Muito meu amigo. O irmão perfeito.Aprendi a reconhecer o que ele dizia miando e como ele me chamava miando: Naná, Naná!
Meus irmãos e família também me chamaram de Naná, Nanda, Nandinha, Fernandinha...Mas nenhum deles atingiu até hoje a perfeição do Amor Absoluto James me ensinou. Como eu, meus irmãos ainda estão aprendendo. Uma honra e um privilégio ser sua irmã, James.
Fernanda Correia Dias
in Para o James Bond, o "Gei", "Geiminho", o Gatinho Mágico da minha Mãe